Manejo de Pastagens Orientado por Satélite

Marcus Prado
Consultor Exagro

Como todos vocês tem acompanhado aqui no Blog PastoComCiência, a necessidade de otimizar o manejo de pastagem é uma realidade na pecuária nacional. O Blog já possui uma série de postagens técnicas e relatos de casos que buscam orientar e levar tecnologia aos produtores e demais interessados em melhorar e aumentar o conhecimento de produção pecuária em pastagem.

Uma inovação tecnológica lançada pelo AgroHUB em 2020, foi o manejo de pastagem orientado por satélite, produto conhecido como PC Sat. Este já é utilizado por clientes interessados em otimizar o manejo de pastagem, acessando tecnologias práticas e inovadoras para auxiliá-los em suas fazendas.

Antes de entrar nos detalhes do manejo orientado por satélite, vamos rever o  conceito de Oferta de Forragem (OF), já explicado amplamente nesta postagem:

https://pastocomciencia.com.br/2020/10/15/oferta-de-forragem-como-calcular-e-seu-impacto-no-desempenho/

Brevemente, Oferta de Forragem, ou OF, representa quantos Quilos de Matéria Seca (KgMS) de forragem são ofertados para cada 100 Kg de peso corporal de animal (PC). O que se busca com este indicador é encontrar o ponto ótimo entre aproveitamento da pastagem e desempenho animal, conforme a imagem abaixo.

A importância da OF se deve em conhecer a quantidade de forragem que o animal necessita ingerir por dia, baseado em seu peso corporal, e o quanto de forragem a mais do que o ingerido será ofertado, para que o animal possa selecionar dentro do total a que ele tem acesso.

O fato de se ofertar a mais do que eles necessitam ingerir é resultado de um comportamento natural dos animais, de selecionar e descartar perdas normais durante o pastejo, ocorridas por tombamento, pisoteio, senescência. Além disso, o extrato de altura de saída deve permanecer na área de pastagem para otimizar o rebrote do capim.

O segredo de manejar baseado na Oferta é equilibrar a disponibilidade de forragem com a quantidade e peso dos animais.

Falando em extremos, o que acontece quando se oferta muita forragem é aumentar a disponibilidade de pasto para o animal selecionar e ingerir, o que poderia favorecer um ótimo ganho individual, mas baixo ganho por área. Além disso, quando passada do ponto de corte ideal, a forrageira perde muito sua qualidade, limitando o consumo dos animais e a disponibilidade de nutrientes. Alta forragem ofertada ainda resultará em maior perda por tombamento e senescência.

O inverso, quando se tem pouca forragem disponível para o animal, limita o desempenho individual pela menor seleção de forragem e menor consumo de MS. Na maior parte das vezes, isso se deve pela alta lotação da área, resultando em super pastejo e possibilitando a ocorrência de lixiviação de nutrientes e aumento de invasoras na área.

A imagem abaixo ilustra os cenários extremos e seus impactos.

Imagem 1: Variação de Oferta de Forragem e impactos da qualidade e quantidade da forrageira ofertada

Hoje vamos explicar o caso real de uma fazenda que recebeu o relatório com as medições de forragem via satélite recentemente e usou os dados para tomar as decisões de manejo, conforme orientado pelo produto PC Sat.

Esta fazenda é parceira do projeto há vários anos e este é o terceiro ano em que as orientações de ajuste do manejo são baseadas por medição de forragem via satélite. Na imagem abaixo, você poderá ver os dados de cada módulo da fazenda, com quantidade de cabeças atual, peso médio, taxa de lotação, oferta ocorrida e o desvio existente entre a oferta desejada e a oferta ocorrida.

Imagem 2: Tela de Avaliação de Manejo AgroHUB.

Nesta fazenda, a meta de OF é ofertar aos animais 10 KgMS de forragem para cada 100KgPC, ou seja, 10% de OF. Os limites aceitos para variação são de, no mínimo 7,5% e, no máximo, 12,5%.  Atualmente a fazenda está com a OF de 11,96%, como pode ser visto na imagem acima.

Analisando os dados e olhando para a fazenda em geral, para atingir a OF de 10%, é necessário colocar mais 125 animais nas áreas. Agora em meados de fevereiro, a fazenda começa a apresentar sobra de capim em alguns módulos e será necessário buscar animais de outro retiro para ajustar o manejo destes pastos.

Para os ajustes, se faz necessária uma análise de módulo a módulo e caso a caso, cruzando os dados gerados pelo relatório com a disponibilidade de caixa da fazenda, momento atual e a situação de cada lote, como por exemplo, seu estado fisiológico e momento reprodutivo.

Como se pode ver, os lotes de animais do Módulo Eucalipto e Aroeirinha estão com a OF acima dos 12,5%, enquanto não há nenhum lote com a OF abaixo de 7,5%. Num cenário ideal, seria necessário misturar os lotes e colocar todos com as ofertas iguais à média da fazenda. Porém, esta é uma ação que pode comprometer o desempenho dos animais pela movimentação e quebra de hierarquia. Buscando um equilíbrio entre o comportamento animal e o ajuste do pastejo, é possível realizar alguns ajustes simples que permitem adequar as ofertas, favorecendo os animais e focando no melhor desempenho animal e por área.

Vamos às recomendações enviadas para cada módulo. Acompanhe na imagem abaixo a simulação realizada, destacada pelo quadro vermelho.

Imagem 3: Tela de Avaliação de Manejo AgroHUB.

  • Módulo Eucalipto: trazer 20 animais do mesmo peso médio que estão no outro retiro e transformar o lote em 70 cabeças de 330 quilos de peso médio. A OF passará para 12,4%.
    Este lote é composto por novilhas entrando na estação de monta. O peso do lote é inferior ao projetado para o momento e a OF acima de 12% será permitida para que estas fêmeas melhorem a condição corporal e aumentem a taxa de concepção no final da estação de monta.
  • Módulo Aroeirinha: a história é semelhante e a indicação é manter o lote atual.
    Este é um lote de primíparas com alta exigência nutricional. Buscando favorecer o ganho de peso e, consequentemente, o desempenho na estação de monta, a oferta mais alta será monitorada.
  • Módulos Pontilhão, Bezerreiro, Casa Nego e Fundo Adolfo: a orientação é manter os lotes atuais, pois a oferta está dentro dos limites, o pastejo é dentro das alturas de manejo orientadas e a condição corporal dos animais é boa.
    Maior atenção ao lote no módulo Fundo Adolfo, que recebe a menor oferta entre os quatro. Se necessário, o lote pode ser trocado de módulo ou ter seu tamanho ajustado.
  • Módulo 61 e 62: trazer 45 novilhas de 330kg de peso médio do outro retiro para este módulo. A oferta ficará em 10,6%.
  • Módulos Calçamento de cima e Calçamento de baixo: ambos têm lotes de mesma categoria, vacas paridas em ótima condição corporal. O lote no Calçamento de cima está com uma oferta um pouco baixa, enquanto o lote no Calçamento de baixo está com a oferta um pouco alta. A orientação então é mover 10 cabeças do módulo Calçamento de cima para o módulo Calçamento de baixo, ajustando as ofertas de ambos, que ficam mais próximas à meta de 10%.

Como conclusão, é possível usar a medição de forragem via satélite para orientar o manejo de pastagens com muita eficiência. Além deste cliente, já existem outros usufruindo da tecnologia disponível no mercado. Caso tenham interesse em conhecer mais, entre em contato pelo link: https://forms.gle/vRhxBcqBTxL95ugAA

Até a próxima postagem!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.