OFERTA DE FORRAGEM: COMO CALCULAR E SEU IMPACTO NO DESEMPENHO

Bruna Horta – Trainee Exagro
Alessander Rodrigues – Consultor Exagro

Olá!

Recentemente, conversamos sobre os efeitos do ajuste da Oferta de Forragem no desempenho animal. Hoje iremos trazer mais evidências deste efeito em outros casos, ressaltando a importância e o resultado do ajuste da Oferta.

Já sabemos que o desempenho animal é influenciado por diferentes fatores e que nem todos podem ser controlados. Porém, um fator importantíssimo, o manejo da pastagem, pode ser controlado e corrigido pelo pecuarista.  Dentro deste fator, iremos conversar sobre manejar a pastagem e os animais, ajustando pela Oferta.

Mas como a Oferta de Forragem (OF) vai influenciar o desempenho animal?

Considerando que a OF indica a quantidade de pasto que o animal dispõe, o conhecimento dos valores de oferta disponíveis permitirá adequar a carga animal na área analisada. Se uma área apresenta uma OF de 8%, significa que há 8 kg de Matéria Seca de pastagem disponível para cada 100 kg de peso vivo de animal. Esse valor da OF pode ser facilmente alterado aumentando ou reduzindo a carga animal na área, sempre com o objetivo de encontrar o valor de OF que gere maior desempenho animal e que garanta o crescimento e perenidade da forrageira.

A disponibilidade de forragem se altera ao longo do ano. Então, para manter a OF desejada, é necessário que se monitore a disponibilidade de forragem e que se faça o ajuste constante da carga animal nos pastos.

Para monitorar a disponibilidade de forragem, podem ser utilizados métodos diretos, como a medição direta de forragem, já explicada em outros artigos aqui postados. Porém, as fazendas parceiras do PastoComCiência já contam com a possibilidade de realizar esse monitoramento de forragem a partir de imagens de satélite, o que simplifica e agiliza o processo de determinação da massa de forragem disponível.

Sabendo a massa de forragem disponível e a carga animal sobre a área, é possível calcular a Oferta de Forragem através da fórmula abaixo:

MS – Quantidade de forragem disponível, em quilos de matéria seca por hectare.

Tx lotação – Quantidade de quilos animais por hectare na área analisada.

Após calculada a oferta de forragem, é possível compará-la com os resultados de ganho de peso dos lotes de animais que estavam em cada pasto ou módulo e, assim, encontrar as OFs que estão gerando os melhores desempenhos animais.

Hoje vamos analisar os resultados de duas fazendas, visando entender a influência da oferta de forragem no ganho de peso dos animais.

Os dados são referentes ao período da safra 19/20 e a média de OF ocorrida nas duas fazendas foi calculada, chegando aos seguintes resultados: Fazenda 1 – 14,8% e Fazenda 2 – 14,2%. Apesar de ambas apresentarem um média de OF bastante próxima, a Fazenda 1 apresentou maior variação na oferta de forragem ao longo da safra, enquanto a Fazenda 2 apresentou um manejo mais ajustado ao longo do período. Segue nos gráficos abaixo a média de OF por pasto ou módulo em cada uma das fazendas.

A diferenças entres elas no manejo foi que a Fazenda 1 teve seu manejo baseado em Taxa de Lotação nos módulos de pastejo, sendo que a OF foi consequência da taxa de lotação aplicada e os lotes ou a alocação deles não foram ajustados para equilibrar as ofertas. Enquanto, na Fazenda 2, a alocação dos lotes foi feita baseada em cada avaliação mensal da OF, e sempre que foi necessário, foi realizado um ajuste no tamanho do lote ou na alocação deles na fazenda para manter a oferta de forragem o mais uniforme possível entre eles.

Oferta de Forragem Fazenda 1

Oferta de Forragem Fazenda 2

É notável que a Fazenda 1 teve uma distribuição de Ofertas maior do que a Fazenda 2, que manteve todos os pastos ou módulos mais ajustados com o recomendado.

Devido à sua consistência na manutenção da Oferta, a Fazenda 2 apresentou melhores resultados de ganho de peso, como pode ser observado nos gráficos abaixo.

Analisando os gráficos, podemos tirar algumas conclusões: a Fazenda 2, além de ter imprimido um GMD médio maior do que a Fazenda 1 em seus lotes, conseguiu manter um ganho de peso mais uniforme entre todos os animais presentes. Já a Fazenda 1, teve lotes que ganharam muito peso, enquanto outros ganharam menos, portanto o ganho de peso ficou mais desuniforme entre os animais, reflexo do menor controle sobre as Ofertas de Forragem ocorridas.

Note que a Taxa de ganho, explicada neste artigo abaixo, foi substancialmente maior na Fazenda 2, indicando maiores eficiência e eficácia na produção.

https://pastocomciencia.com.br/2020/06/09/a-importancia-da-avaliacao-da-taxa-de-ganho/
GMD Fazenda 1
GMD Fazenda 2

A partir do que foi apresentado, notamos a importância de cruzar os dados de massa de forragem, taxa de lotação e ganho de peso dos animais. Normalmente estes dados são analisados separadamente, trazendo indicadores importantes, mas que, isolados, auxiliam discretamente nas decisões de manejo de gado a pasto. Já o resultado do cruzamento entre eles revela um caminho claro a seguir em busca dos melhores desempenho e resultado para a fazenda.

Por isso, a oferta de forragem torna-se uma boa alternativa de manejo, por ter alta correlação com o ganho de peso, seja por animal ou por área, bem como com a composição botânica e estrutural da pastagem (Gomes et al, 2017)

O ajuste da Oferta de Forragem não é importante apenas para se alcançar bons desempenhos animais, como também para a garantia do crescimento e da perenidade das plantas. Uma Oferta de Forragem baixa pode não prejudicar o desempenho animal, mas prejudica a forrageira, que terá maior dificuldade em crescer e se manter na área onde está sendo superexplorada. O contrário também pode ocorrer: uma oferta de forragem alta pode gerar bons desempenhos animais, mas também uma baixa eficiência de utilização do pasto, que perderá qualidade e diminuirá sua taxa de crescimento, produzindo, portanto, menos alimento.

Ressaltamos que é operacionalmente muito difícil manter a Oferta de Forragem estática ao longo de todo o ano. Além das misturas e retiradas de animais de lotes constantes, que acarretam outros danos no operacional e desempenho, o crescimento da forrageira é limitado pelo clima, que pode favorecer ou não no decorrer dos dias de pastejo. Porém, é importante determinar algumas faixas de Ofertas de forragem, verificá-la e ajustá-la frequentemente, para não deixar que as alterações naturais do sistema fiquem sem reajustes.

O ideal pode ser buscar a OF que gere bons desempenhos animais sem prejudicar a forrageira, sendo no caso, o ponto de equilíbrio entre eficiência nos crescimentos vegetal e animal. Segundo Hodgson (1990), o ponto de equilíbrio encontra-se entre 10 a 12% de OF, mas cada projeto e cada fazenda têm diferentes métricas relacionadas ao uso das pastagens e desempenhos, sendo necessário trabalhar com diferentes ofertas para atender suas metas ou manejos de pasto.

Até a próxima postagem!

 

 

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.