Manejo de Pastagens : Análises bromatológicas

Pedro Amorim Galdino Schettino de Castilho
Estagiário Exagro

Continuando a nossa série de postagens a respeito do relatório enviado pelo PastoComCiência às fazendas que fazem parte do projeto, chegamos ao último ponto abordado: as análises bromatológicas.

Tratam-se de análises realizadas nas pastagens para a verificação de sua composição química, que nos indica sua qualidade nutricional. O primeiro gráfico mostra a média anual, em porcentagem, de Proteína Bruta (PB) e Nutrientes Digestíveis Totais (NDT) de cada  tipo de forrageira acompanhada no projeto.

Como sabemos que a qualidade nutricional não varia somente de forrageira para forrageira, como também apresenta uma variação muito importante de acordo com a época do ano, em razão das diferenças de umidade, temperatura e luminosidade, o relatório inclui também os resultados mensais de acordo com a espécie.

Qual a importância das análises bromatológicas?

Análise bromatológica é a análise nutricional realizada nas plantas forrageiras que demonstra, por exemplo, os níveis de proteína, energia e minerais contidos no capim. Com estes dados, é possível determinar o melhor tipo e a formulação adequada dos suplementos que serão fornecidos aos animais, buscando o melhor desempenho animal em um custo adequado para a fazenda. As análises repetidas ao longo do ano e em diferentes regiões são importantes, pois a qualidade nutricional do capim depende de uma série de fatores, como manejo, solo, região, espécie forrageira e época do ano.

Por exemplo, pastos manejados em alturas excessivas tendem a apresentar uma redução na qualidade nutricional, assim como acontece em um mesmo pasto ao se comparar seu valor nutricional na época das chuvas com a época seca.

Veja os resultados deste estudo que comparou os nutrientes dos capins Mombaça e Massai, no período das águas e da seca, antes e depois do pastejo dos animais.

Tabela 1: Teores de proteína bruta (PB), digestibilidade in vitro da matéria orgânica (DIVMO) e fibra em detergente neutro (FDN) de amostras de pastos dos capins massai e mombaça antes e após o pastejo nos períodos das águas e da seca

Fonte: Adaptado de Euclides (2008).

Comparando os valores das análises das duas espécies no período das águas, percebemos que a forrageira pré-pastejo, ou seja, na altura de entrada dos animais, apresenta maior teor de proteína e menor teor de fibra em relação à forrageiras pós pastejo (que estão na altura de saída dos animais).

Quando comparamos o período seco com o de águas, percebemos que o valor nutricional reduz consideravelmente, demonstrando a importância da suplementação estratégica dos animais à pasto nesta época do ano.

Com as análises bromatológicas sabemos realmente a qualidade do capim que nossos animais estão consumindo, e assim, poderemos definir a melhor suplementação para cada caso e realizar o planejamento de desempenho da maneira correta.

Gostou do conteúdo? Você pode fazer parte do projeto, receber este conteúdo e muito mais orientações especializadas de Manejo na sua fazenda! Entre em contato conosco através do e-mail pastocomciencia@agrohub.com.br ou deixe seu comentário abaixo.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.